Lomé (1904), o caminho para o palácio do governador. No Copyright
Lomé (1904), o caminho para o palácio do governador

Desenvolvimento das antigas Colónias alemãs desde 1920

This post is also available in: Inglês Francês Alemão Italiano Espanhol Holandês

Escrito por Dietrich Köster

COLÓNIAS NA ÁFRICA

África Oriental Alemã, tomada de posse em 1884/85

Território de Tanganhica
1920 à Grã-Bretanha –
1961 Estado Independente de Tanganhica/1962 República de Tanganhica – Abril de 1964 parte da República Unida de Tanganhica e Zanzibar/desde Novembro de 1964 da República Unida da Tanzânia
Ruanda-Urundi
1920 à Bélgica –
1962 República Ruandesa (parte norte)
1962 Reino do Burúndi/desde 1966 República do Burúndi (parte sul)
Triângulo de Quionga
1920 restituído a Portugal (África Oriental Portuguesa) –
1975 parte da República Popular de Moçambique/desde 1990 da República de Moçambique

África do Sudoeste Alemã, tomada de posse em 1884

1920 à União da África do Sul/1961 República da África do Sul –
desde 1990 República da Namíbia

Camarões, tomada de posse em 1884

Camarões Ocidentais
1920 à Grã-Bretanha –
1960 parte do Estado Independente da Nigéria/desde 1963 da República Federal da Nigéria (parte norte) e 1960 parte do Estado Independente da Nigéria –
1961 parte da República Federal dos Camarões/1972 da República Unida dos Camarões/desde 1984 da República dos Camarões (parte sul), respectivamente.
Camarões Orientais
1920 à França –
1960 República dos Camarões –
1961 parte da República Federal dos Camarões/1972 da República Unida dos Camarões /desde 1984 da República dos Camarões
Neukamerun (Novos Camarões) – agregado aos Camarões em 1911 – foi readjudicado em 1920 às colónias adjacentes da África Equatorial Francesa (AEF):
Chade (1960 República do Chade), Ubangui-Chari (1960 República Centro-Africana, 1976 Império Centro-Africano/1979 República Centro-Africana), Médio Congo (1960 República do Congo/1970 República Popular do Congo/1992 República do Congo), Gabão (1960 República Gabonesa), respectivamente.

Togo, tomada de posse em 1884

Parte Ocidental do Togo
1920 à Grã-Bretanha –
1957 parte do Estado Independente do Gana/desde 1960 da República do Gana
Parte oriental do Togo
1920 à França –
desde 1960 República Togolesa

COLÓNIAS NO ÂMBITO DO PACÍFICO

Nova Guiné Alemã

Terra do Imperador Guilherme, Arquipélago de Bismarck, Ilhas Salomão Alemãs, tomada de posse em 1884/85
1920 à Austrália –
desde 1975 parte do Estado Independente da Papuásia-Nova Guiné
Ilhas Marshall (parte da Micronésia Alemã ao norte do equador), tomada de posse em 1885
1920 ao Japão –
1947 sob administração dos Estados Unidos como parte do Território sob tutela das Ilhas Pacíficas das Nações Unidas –
desde 1990 República das Ilhas Marshall
Nauru (Micronésia Alemã ao sul do equador), tomada de posse em 1888
1920 à Austrália, à Nova Zelândia e à Grã-Bretanha/administração mandatária desempenhada pela Austrália –
desde 1968 República de Nauru
Micronésia Alemã ao norte do equador sem as Ilhas Marshall, tomada de posse em 1899
1920 ao Japão –
1947 administração dos Estados Unidos como parte do Território sob tutela das Ilhas Pacíficas das Nações Unidas
a) desde 1990 Comunidade dos Estados Unidos das Ilhas Marianas do Norte
b) desde 1994 República de Palau
c) desde 1990 Estados Federados da Micronésia (Ilhas Carolinas)

Território Alemão de Kiauchau, tomada de posse em 1897/98

1920 ao Japão –
1922 restituído à China – 1949 parte da República Popular da China

Samoa Alemã, tomada de posse em 1899/1900

1920 à Nova Zelândia –
1962 Estado Independente da Samoa Ocidental/desde 1997 Estado Independente da Samoa

Anotações:
A Micronésia Alemã abrange as Ilhas Marianas excepto Guam, as Ilhas Palau, as Ilhas Carolinas, as Ilhas Marshall e a Ilha de Nauru.
Com a excepção do Território Alemão de Kiauchau e do Triângulo de Quionga todas as possessões ultramarinas alemãs tornaram-se mandatos da Sociedade das Nações em 1920:
Togo e os Camarões tornaram-se mandatos B e foram partidos entre a França e a Grã-Bretanha como mandatários.
Tanganhica e Ruanda-Urundi tornaram-se mandatos B com a Grã-Bretanha e a Bélgica como mandatário, respectivamente.
A África do Sudoeste Alemã, a Micronésia ao norte do equador e a Samoa Alemã foram subordinadas como mandatos C à autoridade mandatária da União da África do Sul, do Japão e da Nova Zelândia, respectivamente.
Nauru como Micronésia ao sul do equador recebeu como mandato C a Grã-Bretanha, a Austrália e a Nova Zelândia como potências mandatárias.
A Nova Guiné Alemã restante (Terra do Imperador Guilherme, Arquipélago de Bismarck, Ilhas Salomão Alemãs) passou como mandato C sob a autoridade administrativa da Austrália.
Em 1947 estes domínios tornaram-se até a independência política Territórios sob tutela das Nações Unidas.
Naquele ano somente o Japão foi substituído pelos Estados Unidos como potência administrativa
(Território sob tutela das Ilhas Pacíficas das Nações Unidas).
Pela parte das Ilhas Marianas do Norte a independência não é projectada.
Este arquipélago é juntado a partir de 1990 como Comunidade das Ilhas Marianas do Norte numa união política com os Estados Unidos.
A cessão das possessões ultramarinas alemãs efectuou-se segundo o Tratado de Versalhes do 28 de Junho de 1919, que entrou em vigor a 10 de Janeiro de 1920.

Copyright Março de 2004 por Dietrich Köster, D-53115 Bonn

banner
Close
GDPR
EU laws require that we request your consent to the use of cookies. We use cookies to ensure that our site works properly. Some of our advertising partners also collect data and use cookies to publish personalized ads.




Subscribe to our YOUTUBE channel: